ENCONTROS

 
 

O Travessias, desde sua primeira edição, traz à tona inquietações e discussões sobre os espaços para a arte, a democratização da cidade e a ampliação das possibilidades de criação e fruição em artes nos mais diversos territórios, entre e para todos os habitantes da cidade.

Para continuar dialogando, o Travessias 4 fará dois encontros entre artistas, estudiosos e o público para falar sobre como arte e espaço se misturam e se transformam e também sobre a trajetória de artistas e sua relação com a cidade e com os circuitos das artes.

Encontro 1, 03/10, 17h

O artista vem de onde?

Vamos falar com nossos artistas! Já tivemos mais de trinta artistas nas quatro edições do Travessias e queremos ouvir alguns deles sobre seu processo de trabalho e sua trajetória.

Neste ano, temos na exposição dois artistas contemplados através de um edital público e outros dois já consagrados.

Esse encontro propõe uma reflexão sobre os desafios para a inserção e o reconhecimento nos circuitos da produção artística no Brasil.

Apresentação dos artistas Eduardo Coimbra e Marie Carangi e conversa com Clarissa Diniz (Curadora do MAR).

Provocador: Jorge Barbosa (Observatório de Favelas)

Encontro 2, 14/11, 17h.

O que arte e espaço fazem um pelo outro?

O Galpão Bela Maré instaurou um novo espaço para a arte na Maré há cinco anos. E neste encontro do Travessias 4 queremos conversar sobre como arte e espaço se transformam. Quais são a influência de um sobre o outro e a relação da produção de arte com o território? Como os espaços públicos são criados, percebidos, experimentados e reinventados por meio de intervenções artísticas?

Conversa com o artista Marcos Chaves, a curadora Daniela Labra e Renata Marquez, professora da UFMG e editora da Revista Piseagrama.
Provocador: Jorge Barbosa (Observatório de Favelas)


OFICINAS

Projeto Educativo/Oficina TOCA-AQUI

 

Com origem na obra “Touch” (2013), de Regina Silveira, instalada no galpão Bela Maré para a quarta edição da exposição Travessias (setembro de 2015), o projeto educativo TOCA-AQUI tem como fundamento agregar dados e ações que tratam de responder a questões de identidade e de ocupação simbólica de espaços em vias públicas da Maré.

Enquanto “Touch” teve origem nas marcas de mãos sobre muros – um signo imemorial do homem – para compor marcas gráficas agigantadas que ocupassem fantasmagoricamente espaços interiores e arquiteturas diversas, com a intenção de desestabilizar a percepção desses lugares, TOCA-AQUI segue outra vertente, a da identidade e da apalpação – mesmo fictícia – como marca afetiva e com capacidade de comunicação urbana. O educativo tem origem nas marcas de mãos das próprias crianças da Maré, transformadas graficamente em máscaras de grande formato, depois pintadas sobre as paredes e muros, em cores diversas.

TOCA-AQUI começou em julho de 2015 com uma atividade na Lona Cultural na Maré para a captura das mãos das crianças. Foram pintadas e impressas as mãos de aproximadamente quarenta crianças. Uma seleção de vinte mãos foi digitalizada e enviada para o ateliê de Regina Silveira, onde foram vetorizadas  seis mãos, e a EC Visual, em São Paulo, imprimiu os contornos das máscaras das mãos sobre vinil. Neste período, a equipe de articulação do Travessias 4 fez um mapeamento prévio de áreas na Maré para a pintura das mãos durante a atividade.

Na oficina, o grupo trabalhou durante uma semana na preparação das máscaras para pintura: elas foram cortadas em seus mínimos detalhes, depois o grupo colocou um filó para garantir que os detalhes ficassem presos às máscaras e o filó foi adesivado e grampeado. Com as máscaras prontas, o grupo partiu para a pintura na Rua Bittencourt Sampaio, nas proximidades do Galpão Bela Maré, e nos dias seguintes em outros lugares no bairro.

Coordenação: Regina Silveira
Assistente: Eduardo Verderam
Funcionamento: de 21 a 27 de agosto de 2015 das 14h às 18h no Galpão Bela Maré
Participantes: Alberto Aleixo, Alexandre Silva, Carlos Henrique Vieira da Cunha, Carolina Aleixo, Douglas Lopes, Geisa Lino, Igor Pantoja, Janis Clémen, Laura SanchezManzano Ruiz, Letícia Souza, Leticia Libanio, Loran Santos, Luiz Gonzaga dos Santos, Mariana Mello, Marisa S. Mello, Michel Schettert, Nívea Santana, Rafael Lino, Renata Sampaio e Tainá Paula Souza.

OFICINA DE ARQUITETURA

 

A Oficina de Arquitetura consiste no processo de construção sucessiva de um modelo do lugar, com suas ruas e edificações, na escala de 1:200 e sem limites previstos. Uma maquete contínua da cidade, a partir da Nova Holanda.

A Oficina de Arquitetura propõe o aprendizado de noções básicas de urbanismo e de representação, além de permitir a moradores e visitantes novas ideias e perspectivas sobre o lugar.

O resultado do trabalho da Oficina irá compor a nova montagem do Modelo Vivo da Maré que será exposta no Travessias 4.

Criado em 2013 pelo arquiteto Pedro Évora o Modelo Vivo da Maré chega com o Travessias à sua quarta edição, e vem crescendo e assumindo novas formas com o tempo.

QUANDO

De 31 de agosto a 4 de setembro de 2015, de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, no Galpão Bela Maré.

QUEM

Estudantes de arquitetura e jovens acima de 16 anos.

OFICINA DE PRODUÇÃO CULTURAL

 

 
 

Projeto de exposição: da concepção à realização

Com Luiza Mello

A oficina tem como objetivo apresentar as etapas necessárias para a produção de uma exposição: desde a concepção até sua realização. Com base na análise do projeto da mostra coletiva Travessias, em sua quarta edição, os alunos poderão entender todo o processo de produção de uma exposição. http://2015.travessias.org.br

Aula 1: Apresentação da mostra de arte contemporânea que será analisada durante o curso. Noções básicas de como montar um projeto de exposição: conceito, redação do projeto, realização de orçamento e inscrição em leis de incentivo.

Aula 2: Como produzir um projeto de exposição: pré-produção/preparação, produção (composição de equipe de trabalho, montagem, comunicação, divulgação, programação, desmontagem), gestão e prestação de contas.

QUANDO

Sábados, dias 03 e 10 de outubro, das 10h30 às 13h
OFICINA DE DESIGN

Estão abertas as inscrições para a oficina de design ministrada pelo escritório de design Quinta-feira com a participação do estúdio Risotrip. Nesta edição vamos desenvolver projetos de cartazes e imprimi-los em Risografia, técnica que usa um processo semelhante à serigrafia com o uso de uma máquina impressora. A oficina é gratuita. São apenas 10 vagas disponíveis.

QUANDO E ONDE

Dia 14 de novembro das 10 às 15h,
no Galpão Bela Maré — Rua Bittencourt Sampaio, 169, Maré. Entre as passarelas 9 e 10 da Av. Brasil

QUEM

Estudantes de arquitetura e jovens acima de 16 anos.

INSCREVA-SE

travessias@observatoriodefavelas.org.br


FESTA DE ABERTURA

Sábado, 12/09, 17h

Show de Jonas Sá e banda:
Aquiles Moraes
Eduardo Manso
Everson Moraes
Gustavo Benjão
Marcelo Callado
Pedro Dantas
Rafael Rocha
Ricardo Dias Gomes
Thiago Queiroz
Victor Neto

+ Festa Tupiniquim com DJ Túlio Baía
Coprodução: Coletivo Maré


ENCERRAMENTO

Sábado, 14/11, das 17h às 19h
Encontro: O que arte e espaço fazem um pelo outro?

Com a participação do artista Marcos Chaves, da curadora Daniela Labra e da pesquisadora de arte, professora da UFMG, curadora e editora da revista Piseagrama Renata Marquez. Provocador: Jorge Barbosa

A partir das 19h
Festa com os convidados especiais:
Equipe Chatubão Digital
DJ RD da NH
Ritmo de Favela
VJ Chico Abreu
MC Deize Tigrona

w x y z

GALPÃO BELA MARÉ

Rua Bittencourt Sampaio, 169, Maré. Entre as passarelas 9 e 10 da Av. Brasil. MAPA.

De terça a sexta, das 10h às 17h. Sábado das 11h às 17h. Entrada Gratuita.